Notícias

MCT inaugura rede acadêmica de alta velocidade em São Paulo

Com 145 km de extensão, MetroSampa foi implantada pela RNP com investimentos da Finep e do Nic.br

[RNP, 18.08.2008]


    No dia 19 de agosto, às 14h, na Sala do Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP), o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) inaugura a Rede Metropolitana de São Paulo (MetroSampa), infra-estrutura de fibras ópticas com capacidade de 1 Gbps que interligará os principais centros de ensino e pesquisa da Grande São Paulo para uso de aplicações avançadas e troca de grande volume de dados. A MetroSampa será interligada às demais instituições que fazem parte da rede acadêmica nacional, a rede Ipê. No mesmo dia, o MCT inaugura quatro núcleos de telemedicina e de telessaúde na USP, na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e no Instituto Dante Pazzanese.

    O evento contará com a presença do ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, representantes do Ministério da Saúde (MS), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), da USP, da Unifesp, do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br (Nic.br), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e das demais instituições integrantes da rede. Na ocasião, a capacidade da MetroSampa será demonstrada através de uma videoconferência com os núcleos de telemedicina que serão inaugurados.

    A MetroSampa é fruto do projeto Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), iniciativa do MCT coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização responsável pela internet acadêmica no Brasil. Redes semelhantes à de São Paulo já estão em operação em Belém, Manaus, Vitória, Florianópolis, Distrito Federal e Natal. Até o fim de 2008, serão 27 redes ópticas metropolitanas operacionais em todo o país e interligadas pela rede Ipê.

    Com 145 km de extensão, a rede de São Paulo foi implantada pela RNP com R$ 3,2 milhões de investimentos da Finep e do Nic.br, que custeou 49 km de rede. Sete instituições fazem parte da rede: o Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo (Cefet-SP); o Instituto do Coração (Incor), do Hospital das Clínicas; o Nic.br, a USP, a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), a Unifesp e a Universidade Federal do ABC (UFABC - Santo André).

    A rede vai facilitar e ampliar a divulgação de estudos científicos e a integração entre universidades e unidades de pesquisa. Instituições que participam da rede poderão inclusive compartilhar iniciativas de educação a distância e interagir por meio de videoconferência. Um dos principais projetos beneficiados pela MetroSampa é o da Integração da Capacidade Computacional da Unesp (GridUnesp). Primeiro Grid universitário da América Latina, o GridUnesp foi criado para atender à demanda de docentes e pesquisadores por grande capacidade de processamento e armazenamento de dados em áreas como física de altas energias, engenharia mecânica, meio ambiente, geociência etc.

    Rede Universitária de Telemedicina (Rute)


    Os núcleos paulistanos da Rede Universitária de Telemedicina (Rute) que serão inaugurados no dia 19 ficam localizados nas seguintes instituições: Hospital São Paulo (da Unifesp), Hospital Universitário da USP, Hospital das Clínicas (da Faculdade de Medicina da USP - FM/USP) e Instituto Dante Pazzanese, sendo os três primeiros integrantes também da MetroSampa.

    A Rute é mais uma iniciativa do MCT coordenada pela RNP. O objetivo da rede é aprimorar a infra-estrutura para telemedicina presente nos hospitais universitários e promover a integração dos projetos existentes nesta área. A Rute é apoiada pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e pela Associação Brasileira de Hospitais Universitários (Abrahue). Em sua primeira fase, a Rute interconectava 19 instituições. Com sua expansão, anunciada em agosto de 2007, a rede passou a incluir 57 instituições, distribuídas em todos os estados do Brasil.

    Através da Rute, as instituições a ela pertencentes estarão conectadas entre si e com outras iniciativas de telessaúde no Brasil e no mundo, podendo realizar atividades que vão desde a teleducação de profissionais da área médica e a discussão de casos, até o atendimento a distância (segunda opinião formativa). Com a integração das unidades em São Paulo aumenta para nove o número de núcleos da Rute no Brasil. A expectativa é de que até o final de 2008 outros dez núcleos sejam inaugurados.

    Entre as atividades de telemedicina e telessaúde já realizadas pelas instituições paulistanas pertencentes à Rute, destacam-se: sessões de telerradiologia, teleginecologia, telegeriatria, e teleurologia, em que são realizados debates, palestras e estudos de casos; o projeto Homem Virtual, onde são desenvolvidos modelos 3D em computação gráfica que permitem visualizar a anatomia e fisiologia de diversas partes do organismo humano; e os conteúdos multimídia para Educação Médica Continuada a distância e transmissões de técnicas cirúrgicas disponibilizados pela Unifesp.




    Juliana Berriel
    RNP
    18.08.2008