Notícias

Fórum Redecomep debate principais desafios e perspectivas da iniciativa

Quarta edição do encontro foi realizada no Rio de Janeiro

[RNP, 04.06.2008]


    Oito redes metropolitanas da iniciativa Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep) da RNP estão atualmente concluídas no Brasil: Belém, Manaus, Vitória, Florianópolis, Distrito Federal, Natal, São Paulo e Fortaleza, sendo que as seis primeiras já estão inauguradas e em operação. Até o fim do ano, serão 27 redes operando em todo o país. Isto, sem contar com os projetos de expansão para novas cidades e regiões metropolitanas como é o caso das redes de São Carlos (SP), Niterói (RJ) e Petrópolis (RJ). Diante deste cenário de inaugurações e novas perspectivas, a Redecomep realizou seu quarto Fórum, no Rio de Janeiro, no dia 29 de maio.

    O evento reuniu coordenadores, supervisores regionais, presidentes dos comitês gestores, parceiros e demais participantes da iniciativa. A primeira palestra do fórum discutiu o desenvolvimento do projeto da Redecomep Rio. De acordo com Márcio Albuquerque, do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), a rede metropolitana do Rio de Janeiro deverá ser a maior América Latina, com cerca de 140 Gbps de capacidade total e mais de 200 km de extensão.

    Também foi apresentada palestra sobre tecnologia wireless (Wi-Max), solução que vem sendo utilizada na implantação de algumas redes metropolitanas como a de Florianópolis (SC), conforme explicou o presidente do comitê gestor da Remep, Edison Melo. O modelo de gestão das redes foi outro tema debatido durante a apresentação da representante da Fundação de Estudos e Pesquisas em Administração e Desenvolvimento (Fepad), Wanessa da Silva. O caso em destaque foi o da Redecomep DF, que encontrou uma boa solução para a manutenção e operação da rede através da Fepad.

    Sobre a articulação com as distribuidoras de energia elétrica, fundamental para a implantação das redes, o coordenador nacional da Redecomep, José Luiz Ribeiro, ressaltou o posicionamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em relação ao modelo de parceria com permuta que vem sendo proposto pela RNP às empresas. Em fevereiro, a Aneel isentou a organização da resolução 001 que diz respeito às diretrizes do Regulamento Conjunto para Compartilhamento de Infra-estrutura entre os Setores de Energia Elétrica, Telecomunicações e Petróleo, aprovado em 24 de novembro de 1999.

    Isto significa que os convênios pendentes atualmente com as elétricas dos grupos Rede e Neoenergia tendem a avançar, possibilitando a implementação das redes metropolitanas em Salvador (BA), Recife (PE), Palmas (TO) e Campo Grande (MS). Em Belém (PA), onde foi inaugurada a primeira rede da iniciativa Redecomep em 2007, a Metrobel, o convênio firmado entre o governo do Estado do Pará e as Centrais Elétricas do Norte do Brasil (Eletronorte) permitirá a utilização dos 1800 km de fibra da empresa para expandir a rede para o interior.

    A ampliação da Metrobel possibilitará a conexão de nove dos 10 campi da Universidade Federal do Pará (UFPA). Além disso, o governo paraense inaugurou este ano a primeira cidade digital do interior, em Marituba. A rede conecta 34 pontos (hospitais, escolas, delegacias e até terceiro setor) e oferece um sinal aberto de 2,4 GHz, na praça central da cidade.





    Juliana Berriel
    RNP
    04.06.2008